sexta-feira, 16 de março de 2012

Poética e experimentalismo na fotografia

Mariana Ferreira
                                   Foto: Mariana Ferreira
Pedro David e Eustáquio Neves
O segundo encontro do “Ciclo de ideias” do festival “Foto em Pauta”, que aconteceu no dia 15, recebeu dois fotógrafos do cenário contemporâneo brasileiro, Eustáquio Neves e Pedro David. Eustáquio discorreu sobre suas influências e a repercussão de seu trabalho, e os dois profissionais foram apresentados por Miguel Aun, o fotógrafo homenageado do festival.

Natural de Juatuba, foi em uma comunidade remanescente quilombola na cidade de Diamantina (onde reside), que Eustáquio descobriu uma forma de retratar suas origens. Alguns de seus temas são o negro, ofertas de emprego, vida urbana, caos urbano-industrial e futebol. Com estas temáticas, Eustáquio conta que houve uma ruptura no seu trabalho com a fotografia comercial, e assim ele passou a se dedicar mais ao seu lado artístico.

Talvez por sua graduação em Química Industrial, ou mesmo por sua constante inquietação, Eustáquio desenvolveu uma linha de trabalho que valoriza a interferência em negativos e a sobreposição de várias imagens, como forma de transmitir o excesso de informação na sociedade contemporânea. “Foi uma forma que encontrei de contar várias histórias ao mesmo tempo”, afirma. Ele ainda explica que a interferência que faz em suas fotos não é para resolver um problema com a imagem.

Foto: Mariana Ferreira
Eustáquio Neves apresenta seu trabalho
Reconhecido internacionalmente por sua arte, Eustáquio conta que, após expor no “7h International Month of Photograph”, em Houston, e ser aclamado pela crítica, essa inquietação constante em seus trabalhos só aumentou. “Ninguém pode agradar tanto”, brincou.

Eustáquio diz ainda possuir suas fotos/obras em mente quando vai fotografar. “Não me acomodo num único processo de produção apenas porque deu um bom resultado, estou sempre mudando”.




Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...