quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Comenda da Liberdade e Cidadania

Foto: Mayra Melo
Medalhas da Comenda da Liberdade e Cidadania foram entregues à 150 personalidades

Walquíria Domingues

Evento homenageou o Tiradentes e agraciou com medalhas personalidades políticas, culturais, ambientais e sociais mineiras e brasileiras.

A medalha “Comenda da Liberdade e Cidadania” foi entregue, pela primeira vez, no dia 13 de novembro, em uma solenidade nas ruínas da Fazenda do Pombal. O evento, que homenageou 150 personalidades do mundo político, cultural, ambiental e econômico, comemorou o nascimento de Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes. A comenda, instituída por meio de decreto conjunto (de 06/09/2011) dos prefeitos de São João del-Rei, Tiradentes e Ritápolis, foi parte das comemorações cívicas do “Dia da Liberdade”, na Fazenda do Pombal, berço do Tiradentes, que visa reviver seu sonho e seus ideais de liberdade e cidadania.

O projeto que institui o dia da Liberdade em Minas foi aprovado na Assembléia Legislativa de Minas Gerais, no ano passado. “Essa ação partiu do Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei e da Academia de Letras de SJDR. Essa história vem de uns quatro anos pra cá”, conta Adenor Simões, responsável pela produção do evento. Ele também explica que há alguns anos já se fazia uma pequena comemoração no Pombal, em homenagem ao dia do batizado do Tiradentes, que é 12 de novembro. Depois surgiu um novo grupo que criou o Instituto da Liberdade. “E foi esse instituto, juntamente com as três prefeituras é que criaram uma lei conjunta, que culmina com a cerimônia de entrega das medalhas”, explica Adenor.

Atrações e eventos celebram liberdade
A programação do dia 13 começou às 7 horas da manhã, com o apito da Maria Fumaça, seguido do repique e sinfonia dos sinos das igrejas de São João del-Rei. Depois todos seguiram para a Fazenda do Pombal, para que os agraciados, convidados e autoridades fossem credenciados junto à Chancelaria.

Com a apresentação da Banda da Polícia Militar de Minas Gerais, a apresentação do Grupo Teatral de Tiradentes, do sobrevôo de balão sobre a Fazenda, e da apresentação do hino da Comenda da Liberdade e Cidadania por Marcus Viana, a solenidade foi abrilhantada. A comemoração é um novo marco para homenagear devidamente Tiradentes, um herói que há muito vem sido visto somente como um mártir. “Talvez de imediato não se tenha percebido, mas este outro modo de olhar o passado com certeza indica uma nova direção que - como Joaquim José - sonhamos para o presente e para o futuro”, diz o jornalista Emílio da Costa, em seu blog Tencões e Terentenas.

Antiga disputa
A Fazenda do Pombal é objeto de desejo das três cidades organizadoras da Comenda. Há registros na Biblioteca Nacional e na Catedral do Pilar de SJDR de que a Fazenda, onde nasceu Tiradentes, pertencia a São João del-Rei, como ele próprio declarou ao ser preso. A Coroa Portuguesa chegou a demarcar a área e o Pombal passou a ser de São José d’El Rey (hoje Tiradentes), e só se tornou território de São João d’El Rey em 1755. Mas depois de mais de duzentos anos, em 1963, o Pombal passou a ser uma área de Ritápolis. Agora, em consenso, as três cidades, que já entraram até na justiça para decidir qual seria o município de Tiradentes, sentem-se o berço do herói. Ano que vem a cidade de Tiradentes recebe o evento, e em 2013, Ritápolis será a anfitriã.

Os agraciados
Além do governador Antonio Anastasia, do senador Aécio Neves, do arquiteto Oscar Niemeyer, e dos ministros da cultura e da justiça, foram agraciados com a medalha personalidades políticas, culturais, ambientais e sociais de São João del-Rei, Tiradentes e Ritápolis. O decreto conjunto estabelece que a comenda condecora cidadãos mineiros, brasileiros e estrangeiros que se destacaram no incentivo, apoio e divulgação de atividades relacionadas a cidadania, liberdade e responsabilidade social, a cultura, preservação ecológica e ambiental, a história e ao civismo. “A responsabilidade de escolha dos agraciados ficou distribuída entre as três prefeituras, as três câmaras, o IHG/SJDR, a Academia de Letras de SJDR e também a chancelaria do Instituto da Liberdade”, explica Adenor Simões.

A chancelaria e o conselho, integrado pelo chanceler da Medalha, Eugênio Ferraz; pelo vice-chanceler, Wainer de Carvalho Ávila; pelo secretário, Francisco José dos Santos Braga; e pelo vice-secretário, Auro Aparecido Maia de Andrade, além do comitê formado pelos prefeitos municipais e presidentes das câmaras municipais escolheram grandes nomes, importantíssimos na história de São João del-Rei, como Abgar Campos Tirado, grande maestro, pianista, compositor e literato, e Jota Dangelo, dramaturgo, diretor, ator e carnavalesco.

“Eu acho que essa homenagem de Tiradentes é uma coisa extraordinária. Eu acho muito louvável a cerimônia de hoje e fico muito grato de ter sido indicado para receber a medalha, me sinto muito honrado”, disse Abgar Tirado, que defendeu seu ponto de vista a respeito da naturalidade de Tiradentes. “Na verdade ele nasceu em SJDR. Quando houve essa divisão com Ritápolis, o Pombal passou para Ritápolis. A cidade de Tiradentes reivindica também a sua naturalidade, já que ele morou lá quando criança. Então é justo que as três cidades participem, embora eu, no meu bairrismo, gostaria que estivesse continuando como SJDR, por que o Pombal está tão perto”, afirmou.

Já Jota Dangelo achou a idéia completamente válida. “Essa comenda vem, na verdade, unir estas três cidades, porque as três foram o berço de Tiradentes. Portanto, essa divergência hoje não tem mais sentido. E ao mesmo tempo as três cidades se sentem orgulhosas de prestar esta grande homenagem, exatamente no dia do batismo de Tiradentes, perante o país todo”, explicou. O dramaturgo ainda disse que se sentiu muito honrado em receber a medalha. “Evidentemente os agraciados se sentiram honrados com essa comenda, inclusive porque não é tanto pelo mérito dos agraciados, pelo menos no meu caso, mas pela generosidade dos promotores desta comenda”, disse.

Para o Claudionor, considerado o “fundador do Kibom” em São João del-Rei, a Comenda foi emocionante e inesquecível. “Pra mim foi uma grande surpresa. Sinto-me até constrangido de estar no meio desse pessoal. Nos dias de hoje, o meu passado tem história mesmo. Estou satisfeito por terem se lembrado de mim”, disse Claudionor, que com um sorriso, falou: “estou aqui, no meio dessa gente importante... Vou colocar minha medalha lá no bar”, referindo-se ao Bar do Kibom, totalmente reformado.

Considerando os ideais de liberdade e cidadania, Helvécio Reis, Reitor da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), também agraciado com a Medalha, disse que aprovou a articulação dos três municípios em torno de Tiradentes e do conceito de liberdade. “Eu acho que a palavra ‘liberdade’ e a palavra ‘cidadania’ devem ser hoje um tema constante e sempre lembrado na nossa vida cotidiana”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...