terça-feira, 1 de novembro de 2011

30 anos de Semana da Música


Semana da Música completa 30 anos e reúne dez corporações musicais de SJDR


Walquíria Domingues

Tadeu Nicolau Rodrigues, musicista são-joanense, está na banda Theodoro de Faria desde 1946. “Desde quando nasci”, brinca. E sua paixão pela corporação, pela música e pela cidade, fez com que em 1981 organizasse a Semana da Música, que neste mês completa 30 anos. A padroeira dos músicos, Santa Cecília, recebia as homenagens das bandas e orquestras de maneira “desafinada”, considera Tadeu. “Em dia de festa em honra a Santa Cecília, chegou a acontecer de ter duas bandas tocando numa igreja, e na matriz não ter nenhuma banda pra tocar, faltava entrosamento”, relembra o músico.

A primeira de 30
Tadeu propôs à Theodoro de Faria que organizassem os festejos de Santa Cecília de forma que todos os músicos da cidade fossem reunidos. Depois da primeira experiência, que deu relativamente certo, Tadeu Nicolau convidou o musicólogo Aluisio Viegas para que ficasse responsável pela parte religiosa do evento. “Propus: você cuida da parte religiosa, que eu cuido da parte externa”, explica Tadeu, que também relembra um eterno amigo: “quem deu muito apoio foi o Zé Bombeiro, algumas vezes presidente da banda e sempre grande apaixonado pela Theodoro de Faria”.
As primeiras edições da nomeada “Semana da Música” aconteciam no prédio da Sociedade de Concertos Sinfônicos e nas portas das igrejas. Mas no terceiro ano do evento, a música da cidade se concentrou no Teatro Municipal. “A responsabilidade era enorme”, recorda Tadeu Nicolau, já que no novo espaço, as entidades musicais mostravam que não tocavam somente músicas religiosas, mas também clássicas, e outros gêneros, atraindo mais pessoas para o evento anual. Tadeu conta que a ida para o teatro também ajudou muito por causa das chuvas, que sempre atrapalhavam as apresentações.
As bandas apresentam concertos no Teatro Municipal

“Banda só toca em procissão? Não”, afirma o musicista da Theodoro de Faria. Para a semana de apresentações, as orquestras e bandas preparam seus repertórios durante todo o ano. Outro diferencial que tentou ser evidenciado desde as primeiras edições do evento, é que somente as entidades de São João del-Rei podem participar. “Muita gente de fora já telefonou e pediu pra participar, mas a Semana da Música é reservada para as entidades são-joanenses. O nosso objetivo é evidenciar a música de nossa cidade, de unir as entidades da cidade da música”, ressalta Tadeu.

As entidades que não conseguem se preparar a tempo para a apresentação de novembro, ou que não gostam muito de se apresentar no Teatro Municipal, apresentam-se no Tríduo de Santa Cecília, na igreja. As entidades encarregadas das missas geralmente são as Orquestras Lira Sanjoanense e Ribeiro Bastos. “O importante é ninguém ficar de fora”, diz Tadeu Nicolau.

A 30ª e as próximas
A cada ano aumenta a responsabilidade dos organizadores e dos participantes do evento. “Nós temos que fazer sempre melhor que o ano anterior, apresentar coisas diferentes”, explica Tadeu. O evento, que no ano passado teve cerca de cinco mil pessoas que passaram pelo Teatro Municipal (com capacidade para 450 pessoas), neste ano prevê o relativamente o mesmo. “A expectativa para este ano depende do nosso desempenho. É isso que vai agradar o povo e fazer com que voltem no próximo ano”, diz Tadeu Nicolau.

Os organizadores da Semana da Música desejam dar mini-cursos durante a Semana da Música, mas tudo depende de custos, e é muito difícil conseguir patrocínio. “O comércio local geralmente nos ajuda, e entidades culturais também, como a Atitude Cultural, que sempre se mostra desempenhada a ajudar o evento”, afirma Tadeu Nicolau, que tem a esperança de conseguir coisas novas para o ano que vem, afinal, “a Semana da Música não pode parar, é preciso evidenciar a música, para que as tradições não sejam esquecidas”, ressalta.
Na Semana da Música, “o importante é ninguém ficar de fora”, diz Tadeu Nicolau.

Muito ansioso pelo início das festividades, que ocorrerão entre os dias 14 e 22 de novembro, e que contarão com apresentações de 10 corporações musicais, lançamento do blog da banda Theodoro de Faria e festa religiosa, Tadeu desabafa que se eles não tivessem perseverança e seguido o ideal inicial com afinco, a Semana da Música já tinha acabado há muito tempo. O objetivo ainda não foi cumprido, e para o musicista ainda há muito para trabalhar. “Tínhamos que conscientizar as entidades musicais e mostrar a importância delas pra nós, pra São João del-Rei”, diz. 

Fotos: Jairo Vieira/Arquivo Atitude Cultural

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...