quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Escultura flamejante emociona público em São João del-Rei

Adriano Moura 

    Nina Hole observa sua obra
    Foto: Marcius Barcelos
A artista plástica Nina Hole desembarcou em São João del-Rei nas primeiras semanas de outubro para o 7º Congresso Nacional das Artes do Fogo (Contaf), que este ano foi sediado na cidade pela UFSJ. Hole, que é famosa por suas obras em cerâmica e reconhecida por expor sua arte em diversas galerias ao redor do mundo, foi uma das principais atrações do evento. A artista veio à cidade para desenvolver um tipo de escultura flamejante, despertando curiosidade e emoções. 

Nascida na Dinamarca, Hole conta que estudou nos Estados Unidos, onde além de aprimorar suas técnicas e conhecimentos, passou a entrelaçar os estilos tradicionais de ambos os países. Essa mistura se tornou uma de suas principais características e especificidades. A dinamarquesa logo se tornou um nome importante e respeitado no campo, articulando um estilo livre e diferenciado.

    A escultura provocou um belo efeito visual
    Foto: Marcius Barcelos

 
A ceramista, que é referência mundial no estilo, reflete o tradicionalismo da cerâmica dinamarquesa e é pioneira na confecção das esculturas flamejantes, conhecidas como suas principais obras. Segundo Hole, as esculturas consistem em grandes estruturas elaboradas em cerâmica e incorporadas em uma espécie de forno, conhecido como kiln. As esculturas são ocas e possuem orifícios que permitem a passagem de fogo e calor. As obras são resistentes a altas temperaturas e demoram uma média de 14 dias para ficarem prontas. 

Nina afirma que para ser uma ceramista você tem que ter paciência e persistência, já que este é um trabalho que exige técnicas detalhadas e envolve grande dedicação e tempo. O resultado final é um visual exuberante. A escultura flamejante provoca as mais diversas reações e emociona a todos. A artista conta com uma equipe de assistentes, que além de possuir diferentes nacionalidades, a acompanha por diversos locais, ajudando e acelerando o processo de confecção.

A escultura desenvolvida em São João del-Rei possui três metros de altura e foi elaborada no CTAN (Campus Tancredo Neves), onde também ocorreu o ritual de queima. O evento atraiu diversas pessoas e recebeu muitos elogios. “Foi algo marcante, difícil de descrever em palavras. Muito bonito”, conta a estudante Carla Machado, que presenciou a ocasião.
   O ciclo de produção e exibição da escultura flamejante
   Fotos: Adriano Moura e Marcius Barcelos


Hole acredita que este tipo de evento é muito importante para conhecer pessoas e trocar experiências. Ela revela que é uma maneira de entrar em contato com públicos diferentes e divulgar sua arte. “É como uma celebração, algo memorável. É muito bom estar na Universidade”, declara. Nina Hole já se apresentou em diversos países, entre eles Suécia, México, Hungria, Grécia, Portugal e Austrália.




Acesse a galeria de imagens e veja mais fotos do evento: http://tinyurl.com/243756a

Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...